Domingo, 25 de Janeiro de 2015

O Syriza ganhou na Grécia, agora o euro vai desvalorizar.

O Syriza ganhou as eleições na Grécia e agora qual vai ser a política do novo governo, se é que vai haver um novo governo? vai exigir renegociações com o FMI e BCE sobre os juros e os prazos dos empréstimos passados e futuros sem exigências da austeridade ser tutelada do exterior? Será que o FMI e BCE vão tentar uma posição de força e arriscar a ficarem com milhares de milhões de euros de dívidas por cobrar à espera que a Grécia lhes caia aos pés de joelhos a pedir perdão pela ousadia? será que a vão impedir de usar o Euro como moeda corrente até que a Grécia muito bem entenda. Cada país usa a moeda que quiser, só precisa de a ter em quantidade suficiente para poder circular, o euro não é nem nunca foi na realidade uma moeda grega, nem portuguesa, nem de outros países europeus, pois não reflete a realidade económica destes países, de contrário o euro ter-se-ia desvalorizado há muito tempo e teria sido o mais conveniente e correto. Mas agora isso deverá acontecer por certo de uma ou outra forma.

Portugal e Grécia usam apenas o euro como moeda corrente, como poderiam usar outra qualquer moeda. A moeda é de quem define a sua gestão e paridade e isso compete ao BCE e indiretamente à Alemanha. A Grécia (ou qualquer outro país) até pode usar o rublo (da Rússia) ou o yan (da China) ou uma outra moeda que entender, incluindo uma moeda exclusivamente sua, que decida cunhar e gerir. Por isso, dizer-se que a Grécia pode ser expulsa do euro é pura fantasia. Poderá ser expulsa do BCE, mas também não tem estado lá a fazer nada, tal como Portugal e muitos outros países, uma vez que não influenciam a política monetário do banco emissor.

Quem sabe se a Grécia não seria até muito bem recebida e financiada por uma das novas potências imergentes se aceitar a sua moeda em circulação?

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 17:36
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 24 de Janeiro de 2015

As eleições na Grécia são amanhã dia 25 de janeiro de 2015.

E se o Syriza ganhar as eleições na Grécia? que implicações terá na UE? À última hora o BCE procurou acalmar a UE e indiretamente os gregos, anunciando planos de solidariedade económica entre os vários Estados, que não são suficientes para dar esperança nem a gregos nem a ninguém, de que isso vai trazer um futuro diferente; apenas se dirige a Estados que cumpram a austeridade e a bancos que até esbanjaram despudoradamente muito dinheiro em investimentos de alto risco e que não sucumbiram completamente apenas porque foram intervencionados perante a sua ruína eminente. Mesmo assim, há ainda muitos casos por resolver, como no caso português da falência do BES, evitada pela divisão entre "Banco Bom" e "Banco Mau", uma solução obviamente ilegal tomada para evitar a contaminação a outros bancos, mas a "batata quente" ficará na mão do Estado Português quando o "Banco Bom" for vendido.

Noutros países houve soluções também inovadoras e nada abonatórias para a fiscalização bancária, como em Chipe e na Irlanda, onde muitos depositantes e investidores perderam muito dinheiro.

A eventual saída da Grécia do Euro vai provar que as receitas aplicadas de austeridade desenfreada não são solução para nada. E que acontecerá se BCE e FMI se recusarem a negociar a dívida com o novo governo? não haverá mais financiamento, mas a dívida também não poderá ser paga!

Há mudanças a fazer para corrigir os efeitos da infeliz globalização selvagem; do liberalismo sem ética nem regras; da não limitação da circulação de grandes volumes de capital para zonas livres de impostos, acampanhada por uma conivente desregulamentação bancária; da desindustrialização (e não só) do ocidente, transferindo a capacidade produtiva para os países do 3.º mundo; da aceitação em massa de imigrantes de qualquer parte do mundo para fazer concorrência aos assalariados da UE, fazendo aumentar o desemprego, reduzindo salários e direitos sociais; mudança que se reflete depois na descaracterização da UE por ter incluído populações com culturas muito diversas sem que fossem cultural e socialmente integradas, provocando um mal-estar social geral que leva a conflitos e até ao terrorismo interno; menor poder de aquisição e o definhar das economias ocidentais; outros desvarios inventados pelo capitalismo após a queda do muro de Berlim que só servem as grandes companhias e para os países do extremo oriente, para onde se deslocou já o centro económico mundial sem que isso se reflita sequer numa maior justiça social nesses locais.

Mas agora já é tarde, muito tarde para recuar em muitos aspetos, será que alguma coisa poderá ser ainda corrigida para que não se dê o total desmoronamento da UE e a Europa entre num caos previsível?

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 04:27
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2015

Os Estados Unidos vão reduzir drasticamente a sua presença na base das Lajes

O que está a acontecer nas Lajes e não só, a redução dos dispositivos militares dos EUA espalhados pelo mundo, é fruto de uma necessidade de redução de despesas porque a crise ocidental afeta também aquela ainda grande potência: tem que começar por algum lado e os EUA não vão ser a maior super potência para sempre. Quando o dinheiro falta há que cortar nas despesas. O futuro está no extremo oriente e os próprios EUA apressaram o processo quando se deixaram capturar e ceder às grandes multinacionais americanas e aderiram à globalização que está a deslocar rapidamente para o extremo oriente a sua produção e "Know how". Vai ser uma queda difícil, em especial quando se trata de um país com as capacidades militares como são as que têm os EUA. O problema será pior quando a China atingir o nível militar dos EUA. Aí irão encontrar-se um a aumentar a sua capacidade militar e o outro a procurar não deixar ultrapassar-se mas sem dinheiro para resistir. Não é a primeira vez na História que uma super potência é ultrapassada por outra, porém nos dias de hoje o problema é gravíssimo porque há poder destrutivo à escala planetária.
Quanto à China ir ocupar o lugar dos EUA nas Lajes é sinistro, nem a própria China estaria disposta a fazer tal afronta aos EUA. Haveria outra hipótese que seria a de ceder uma outra base nos Açores aos Chineses mas também não acredito que aceitassem por ora, porque é cedo demais para a China. Também não acredito que a simples ameaça sirva para os EUA repensarem a sua posição, pois também eles têm consciência de que seria "bluff".

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 07:27
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Janeiro de 2015

Linha de Cascais vai reduzir o número de comboios

É hoje notícia em todos os meios de informação, nomeadamente na TV e aqui. Mas porque irá isso acontecer?

Como é evidente, isto trata-se de um passo para a privatização: Uma Empresa privada visa fundamentalmente o lucro e não o serviço público, por isso quando esta for privatizada será mais apetitosa para os eventuais candidatos se já estiver aliviada de ligações (nº de comboios por dia) e até de trabalhadores, nem que para isso a CP se veja na necessidade de obrigar os seus funcionários a fazer horas extraordinárias que seriam desnecessárias se a empresa admitisse o pessoal de que precisa para operar com qualidade o serviço; e até ajudavam no combate ao desemprego endémico em Portugal, realidade que na prática não é preocupação do governo. Se assim fosse não teria  facilitado o recurso às horas extraordinárias e baixado o seu custo; teria feito precisamente o contrário. A única preocupação governamental é mascarar as estatísticas, baixando artificialmente os números dramáticos que elas revelariam se fossem honestas.

A lógica de um serviço público providenciado pelo estado é o de servir a população; a lógica de um serviço público providenciado por uma empresa privada é o de conseguir maximizar os lucros, e isso é sempre à custa da redução da qualidade do serviço à população e do bem-estar dos seus trabalhadores.

 

Aprendam que o zé não vive sempre!

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 13:37
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Mais um grande incêndio, ...

. DRONES E A LEGISLAÇÃO PAR...

. Polícia de Alfragide acus...

. Incêndio em Figueiró dos ...

. Chegou o calor, chegaram ...

. Acabou o "Zé da Burra o A...

. A RTP já tem mais dois ca...

. A ASCENSÃO DAS MÁQUINAS

. Reunião na ilha de Ventot...

. Portugal está em guerra c...

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds