Quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

Porque ataca Marinho Pinto os pequenos partidos de esquerda?

Eu vi o vídeo de Marinho Pinto e sugere-me uma questão: porque atacará os pequenos partidos? É aos grandes partidos que terá inevitávelmente que ir buscar votos, pois são esses que têm 2/3 dos lugares da Assembleia da República. Além disso, para levar avante os projetos que anuncia de combate à corrupção e de lóbies apenas poderá contar com os pequenos partidos à esquerda do PS, pois não acredito numa entrada fulgurante na política portuguesa e na A.R. obtendo logo de imediato uma maioria absoluta. Por muito sucesso que possa ter isso não é previsível.

Assim, Marinho Pinto faz-me pensar e desconfiar sobre quais as suas reais intenções. Não gostaria de suspeitar que ele acabe por ser a "muleta" do PS ou do PSD para evitar que tenham que se juntar os 3 já na próxima legislatura.

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 10:58
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 11 de Outubro de 2014

Porque ataca Marinho Pinto os pequenos partidos de esquerda?

Eu vi o vídeo de Marinho Pinto e sugere-me uma questão: porque atacará os pequenos partidos? É aos grandes partidos que terá inevitávelmente que ir buscar votos, pois são esses que têm 2/3 dos lugares da Assembleia da República. Além disso, para levar avante os projetos que anuncia de combate à corrupção e de lóbies apenas poderá contar com os pequenos partidos à esquerda do PS, pois não acredito numa entrada fulgurante na política portuguesa e na A.R. obtendo logo de imediato uma maioria absoluta. Por muito sucesso que possa ter isso não é previsível.

Assim, Marinho Pinto faz-me pensar e desconfiar sobre quais as suas reais intenções. Não gostaria de suspeitar que ele acabe por ser a "muleta" do PS ou do PSD para evitar que tenham que se juntar os 3 já na próxima legislatura.

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 08:14
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 7 de Outubro de 2014

Marinho Pinto vai concorrer às eleições legislativas com um novo partido

Como é sabido Marinho Pinto vai concorrer às próximas eleições legislativas com um novo partido, o PARDIDO DEMOCRÁTICO REPUBLICANO - PDR.

Marinho Pinto fala muito bem, tem um discurso muito convincente, em especial quando nos fala contra a corrupção em que os partidos do "arco do poder" PS, PSD e CDS deixaram cair o país; ou sobre as leis encomendadas pelos Governos do PS e do PSD a Gabinetes de Advogados que impedem a punição dos crimes de corrupção; ou sobre a gestão danosa dos Gestores Públicos, principescamente pagos, mas que terão gerido as Empresas que lhe foram confiadas tendo em vista apenas a sua privatização, incluindo a Empresas Públicas de outros países, como foi o caso da EDP, vendida a uma Empresa Pública Chinesa, a "China Three Gorges"; ou sobre as Rendas Excessivas contratadas; ou sobre muitas das Parcerias Público Privadas cujos contratos foram deliberadamente feitos por forma a garantir lucros escandalosos a Empresas que nada arriscaram, e que foram depois agravados para o Estado em posteriores alterações a pretexto desta ou daquela alteração às obras.

Mas como não acredito em milagres políticos e não acredito que o PDR vá ganhar as eleições inesperadamente e muito menos com uma maioria absoluta: resta saber como irão votar em casos concretos os futuros deputados do PDR, caso sejam eleitos. E se o seu número for suficiente para fazer pender um dos pratos da balança? votará em assuntos importantes ao lado dos partidos do "arco do poder" que Marinho Pinto tem apontado como sendo os responsáveis desta situação ruinosa em que nos encontramos ou votará ao lado do PCP e do BE? Não posso crer que os futuros deputados do PDR se esqueçam então do combate à corrupção, matérias em que acredito terão a seu lado o voto do PCP e do BE. Também não posso crer que se esqueçam das PPPs ruinosas, das Swaps e que se abstenham em outros assuntos tão importantes, como a defesa dos interesses portugueses dentro e fora da UE, em alterações às leis laborais, ao Serviço Nacional de Saúde, à Segurança Social, à Justiça, à Educação, por exemplo. 

Temos sido governados há 40 anos por gente que também fala muito bem e que até prometem fazer alguma coisa pelos portugueses, mas logo se esquecem quando chegam ao poder. Depois justificam-se dizendo que o país estava pior do que julgavam e que não há condições para cumprir as promessas, como se tivessem acabado de chegar de um planeta diferente. Espero que com Marinho Pinto não aconteça o mesmo, mas cá estaremos para avaliar depois...

Veja no "Expresso.Sapo" o que nos promete Marinho Pinto

Veja mais uma achega

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 17:51
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

António Costa ganhou a liderança do PS

Muitos "socialistas" estarão agora hilariantes com a eleição de António Costa e o PS deverá ganhar as próximas eleições porque o líder escolhido tem na realidade mais condições de fazer frente ao PSD para as conseguir ganhar e com uma margem maior. Para que isso aconteça, deverá fazer promessas e mais promessas que sabe à partida não irá cumprir, característica mais difícil de assumir por António José Seguro.

 

No final, ainda que ganhe as eleições tudo ficará na mesma, como é evidente, pois ambos os partidos estão comprometidos com a situação caótica a que este país chegou: muita corrupção; elaboração de leis que dificultam e impedem a criminalização da corrupção; muito domínio da comunicação social; e a alteração da lei eleitoral por forma a assegurar maiorias absolutas com realidades nas urnas mais adversas (alteração da lei eleitoral).

 

Como estes partidos não são já capazes de se mudar a eles próprios nem o povo é capaz de sair do círculo vicioso em que anda há 40 anos: tudo continuará na mesma, seja com 60, 70 ou mais por cento de abstenção, o que não importa porque nunca afetou nem afeta as eleições futuras. A "alternância" irá continuar; ou deverei chamar-lhe "rotativismo", como era conhecido no séc. XIX, em que o poder era exercido alternadamente pelos dois grandes partidos políticos da época: o do centro-direita e o centro-esquerda. Na maior parte do período entre o Partido Regenerador e o Partido Progressista ou o Partido Histórico.

 

Entretanto os atuais partidos irão fazer oposição e no final do mandato tudo volta ao princípio. Existe apenas uma dúvida que é a de saber se o PS conseguirá encontrar uma "moleta", caso necessite dela, porque de contrário terá mesmo que procurar a solução de recurso PS+PSD.

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 17:37
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Junho de 2014

Portugal nunca deveria ter aderido ao euro

Portugal nunca deveria ter aderido ao euro e há quem na altura da adesão o tenha defendido. A adesão do país a uma moeda cujo controlo foge ao governo português seria possível, há países que não têm moeda própria e dão-se bem com isso, mas exige uma boa gestão das despesas do país e, sobretudo, muita honestidade da parte dos governantes e o controlo apertado sobre as entidades bancárias sobretudo, dos fluxos de dinheiro que entram e saem do país, principalmente quando saem: saber porquê e para quê. O Estado manda que os bancos controlem pequenos levantamentos dos aforradores (10 ou 15 mil euros) mas o desleixo é completo quando se trata de milhões. 

 

Mas que fazer agora? aonde ir buscar o dinheiro para pagar as dívidas? Pois quando não há dinheiro vai-se buscá-lo em primeiro lugar a quem o levou ilegitimamente para fora do país, normalmente para paraísos fiscais, caso isso não seja possível então TODOS terão pagar (se puderem): capitalistas, senhorios, patrões, governantes, assalariados, reformados, inativos ricos, empresas, etc. É por isso que se o país tivesse uma moeda própria tudo era mais fácil e justo: desvalorizava-se a moeda e eram todos automaticamente atingidos de uma só vez e pronto! Mas porque é que em Portugal se escolhe uma parte da população, que nem teve culpa das muitas falcatruas que se fizeram ao longo de 40 anos, para pagar a parte de leão dos sacrifícios? É por isso que o Tribunal Constitucional - e muito bem - faz aplicar a C onstituição que, felizmente, exige que não haja discriminação e salvaguarda a igualdade de tratamento a todos os portugueses.

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 06:18
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 12 de Maio de 2014

Falsas promessas é fraude eleitoral

As promessas dos partidos PS/PSD/CDS que nos governam desde o 25 de abril de 1974 são sempre esquecidas logo que estes ganham as eleições, pois os governos saídos das eleições, com elementos dos partidos vencedores, acabam por fazer o contrário do que nos foi prometido antes do ato eleitoral. Desculpam-se sempre com a situação em que encontraram o país, como se tivessem vindo de um outro planeta e desconhecessem a realidade. E já lá vão 40 anos de embustes.

 

A nossa Constituição deveria agir automaticamente considerar o escurtínio nulo por fraude eleitoral dos partidos vencedores, caso apoiassem legislação contrária às suas promessas eleitorais. Novas eleições seriam então marcadas de imediato. As recorrentes burlas eleitorais desacreditam os partidos, os deputados, a democracia e são em grande parte as responsáveis pela abstenção que já ultrapassa os 50%. As burlas acabariam após algumas anulações de atos eleitorais.

 

Mas alguém acredita que um artigo para moralizar as campanhas eleitorais seja introduzido na nossa Constituição? os partidos que exigem fidelidade partidária dos seus deputados, obrigando-os a ir contra as expectativas de quem neles votou e até contra a sua própria consciência? Não! infelizmente continuaremos a ser enganados sucessiva e impunemente. 

  

A fraude eleitoral está já enraizada na nossa democracia e os partidos para atingirem o poder e aí permanecerem utilizam-na sem qualquer pudor e respeito pelo eleitorado que neles votou. Por isso, os eleitores têm que estar sempre alerta para as falsas promessas que sempre surgem antes dos atos eleitorais; de contrário continuarão a ser enganados. Também não devem apostar em maiorias absolutas que dão "carta branca" e poder absoluto ao vencedor.

 

É necessário votar, mas a democracia só tem a ganhar com a dispersão do voto porque os governos mais fracos sentem necessidade de cumprir as regras e valorizar o bem comum, principalmente quando há partidos com projetos de governação diferentes que ficaram à beira de vencer as eleições. A corrupção tem mais dificuldade em influenciar estes governos que poderão perder a seguir. É que depois alguns dos seus membros poderão ter que responder em Tribunal por decisões ilícitas que tenham tomado. O crime, a prisão, e a cativação de património poderá não ser de excluir.  

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 21:20
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 8 de Abril de 2014

Os portugueses estão descontentes com os políticos

 
Há muitos portugueses que estão descontentes com os vários governos que têm passado pelo poder em Portugal, em especial nas últimas décadas, porém as alternativas são poucas e passo a citar:
 
Poderão não votar; votar em branco; anular o voto, o que não afeta o ato eleitoral e temos disso já vários exemplos, pois o atual Presidente da República ganhou legitimamente as eleições à primeira volta com uma minoria de votantes, onde se incluem obviamente os votos em branco e os anulados. O PSD espera até manter-se no poder contando precisamente com o aumento da abstenção dos descontentes que não contam para as eleições.

Para além das alternativas acima indicadas apenas resta votar num outro partido e novos irão por certo surgir quando for a altura própria, mas a adesão será sempre muito duvidosa, por isso sugiro-vos que votem nos pequenos partidos, naqueles que estão logo abaixo dos que se têm revezado no poder (PS/PSD/CDS) para afastar o mais possível a corrupção que aqueles 3 partidos já não conseguem combater internamente.

Agora fica por nossa conta e até podemos votar nos mesmos, em qualquer um deles, porque são todos praticamente a mesma coisa, assim poderemos ter a certeza de que o país continuará o rumo que tem tido até aqui com os resultados conhecidos, mas esqueçam as "ofertas" de última hora que por aí costumam surgir em tempo de eleições. Mas há sempre quem se dê muito bem neste ambiente, esses já escolheram em quem votar e não faltarão nunca à chamada.
free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 09:15
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 9 de Fevereiro de 2014

Em quem votar nas próximas eleições, em maio de 2014?

 Os principais partidos políticos: PS, PSD e CDS foram capturados pela corrupção, por isso mesmo eu defendo que nas próximas eleições deveremos votar nos pequenos partidos para ajudarem a desmascarar a podridão em que os partidos do "arco do poder", acima referidos, nos meteram e nos ajudem a moralizar a política. Há quem prefira não votar e aconselhe a que façamos o mesmo, mas - pergunto eu - para quê? Haverá sempre quem vote nos atuais detentores do poder e para que eles ganhem não é necessário que a maioria da população vá votar. É claro que os "boys", "girls" e outros que previlegiados pelo sistema vigente (sempre uma minoria) nunca faltarão à chamada.
Por exemplo: o atual Presidente da República ganhou as eleições com uma maioria (53,3%) de abstencionistas. Se considerarmos o voto nos outros candidatos, os brancos e os nulos, chegaremos à conclusão de que o atual PR, Cavaco Silva foi eleito por um pequeno grupo de potenciais eleitores (22,98%), mas nem por isso deixa de ter legitimidade para ocupar o lugar, porque, na realidade, quem não vota não conta para a escolha do vencedor. Se assim é, porque há quem defenda publicamente a abstenção? só vislumbro duas possibilidades: ou por ignorância; ou como uma estratégia política para apoiar os atuais detentores do poder, pois ao convencer os descontentes a não votar, afasta-os das urnas e torna-os inofensivos.
IMPORTANTE: Há que votar, portanto, nos partidos contra poder PCP, BE, MRPP, etc... mas a nossa responsabilidade não se fica por aí, depois há que vigiar esses partidos para mudarmos de voto nas eleições seguintes, caso sejam também capturados pela corrupção ou nos queiram lançar em utópicas aventuras políticas.
Vamos às contas das últimas eleições presidenciais referidas acima:                 

 

Universo de potenciais eleitores:                9.656.797  (100,00%)
Votos em Cavaco e Silva:                          2.231.603      (22,98%)
Votos nos restantes candidatos:                 1.982.829  (20,42%)
Votos em branco:                                       191.284       (1,97%)
Votos nulos:                                                86.581 (0,89%)
Abstenção:                                             5.164.500 (53,19%)

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 14:44
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 15 de Outubro de 2013

A Corrupção vista do lado de dentro do poder político em Portugal

É natural ouvir críticas da oposição relativamente aos governos que vão passando pelo poder: muitas serão legítimas, mas outras poderão ser pura demagogia eleitoral. É mais instrutivo ouvir as acusações de quem vem de dentro das máquinas diabólicas do poder, merecem maior crédito, porque partem de quem esteve no interior, nos meandros das decisões políticas dos partidos no poder que levaram o país ao estado atual.

As acusações proferidas pelo Prof. Paulo Morais (PSD), pelo Prof. Medina Carreira (PS) ou até pelo Prof. Bagão Félix (CDS/PP e PSD), todos eles ligados aos partidos do "arco do poder", com responsabilidades na situação calamitosa a que este pobre país chegou e isso demonstra claramente a forma de como temos sido mal governados (desgovernados) durante tantas décadas. Não me interessa o motivo da desavença destes políticos e se ainda estão ligados a qualquer dos partidos que indiquei e a que pertenceram. Declaram-se, todos eles, desiludidos com o rumo que tomaram aqueles partidos e também pela corrupção que neles cresceu ao longo dos anos no poder. Mas o importante é que todos eles conhecem muito bem o interior daqueles partidos e isso não é do conhecimento da maioria dos militantes e muito menos dos votantes. Assim, as suas declarações comprovam o ditado popular que diz: "ZANGAM-SE AS COMADRES, SABEM-SE AS VERDADES".

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 18:35
link do post | comentar | favorito
|

O verdadeiro motivo da crise económica do Estado português

Para quem tem problemas de consciência acerca do endividamento de Portugal, aconselho-vos a verem este pequeno vídeo do Professor Paulo Morais, docente do Ensino Superior na área da Matemática, Diretor do Instituto de Estudos Eleitorais da Universidade Lusófona do Porto e ex vice-presidente da Câmara Municipal do Porto de 2002 a 2005

 

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 11:04
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Porque ataca Marinho Pint...

. Porque ataca Marinho Pint...

. Marinho Pinto vai concorr...

. António Costa ganhou a li...

. Portugal nunca deveria te...

. Falsas promessas é fraude...

. Os portugueses estão desc...

. Em quem votar nas próxima...

. A Corrupção vista do lado...

. O verdadeiro motivo da cr...

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds