Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2015

E-FATURA: COMO ATIVAR FATURAS COM NÚMERO DE CONTRIBUINTE?

 

 

Já em 2015 as faturas com número de contribuinte registadas nas plataforma das finanças servirão, não só para se habilitar ao sorteio do automóvel, mas, sobretudo, para o desconto no IRS de 2015.

Como fazer então: o interessado (cliente) terá que ir ao portal das finanças (ver link abaixo), escolher "faturas", depois "consumidor", aí é-lhe pedido o "n.º de contribuinte" e "a sua senha secreta das finanças" para entrar no espaço seguinte onde poderá confirmar se aquela fatura que lhe foi entregue quando realizou o pagamento do serviço ou da compra foi efetivamente lá registada pelo prestador do serviço ou pelo comerciante. O próprio cliente poderá fazer o registo caso não tenha sido feito.

Porém, existem várias dificuldades e até riscos que impedem uma grande parte dos cidadãos de poder fazê-lo, a saber: ou porque não têm um computador ligado à internet paga, uma vez que usar o "wi-fi" é fortemente desaconselhado porque tudo o que se faz poderá estar a ser monitorizado por alguém que possa roubar a sua identidade; ou porque não tem um bom antivírus; ou simplesmente porque não sabe lidar com as novas tecnologias, o que também é uma justificação válida. Conclue-se assim que a criação da e-fatura é no mínimo infeliz, para não dizer uma forma de discriminar os portugueses.

 

Nestas condições, ainda que muitos cidadãos peçam já as faturas com o seu nome e n.º de contribuinte, elas poderão de nada valer simplesmente porque não foram registadas.

 

Vamos ter dois tipos de cidadãos: os que se habilitam ao automóvel e que abatem no IRS uma parte das despesas conforme as faturas registadas na plataforma; e os outros, os que não têm essa possibilidade. Será isto Constitucional?

 

Esta situação real de muitos portugueses não poderem conferir quaisquer faturas nunca é referida em discussões sobre o assunto e eu não compreendo porquê.

Há quem alerte para a necessidade de conferir o registo das faturas, dê indicações de como o fazer online, mas nunca são referidos os casos em que isso não é possível (3.º link). 

Links: 

DESPESAS GERAIS E FAMILIARES 2015

FATURAS - PORTAL DAS FINANÇAS

ALERTA PARA A NECESSIDADE DO CLIENTE  CONFERIR O REGISTO DAS FATURAS

 

         

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 10:47
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Dezembro de 2014

BANCO BOM, BANCO MAU: Agora só falta vender o primeiro.

Tal como já comentei por aí, depois do governo ter decidido partir o Banco Espírito Santo (BES) em dois: o BANCO BOM, que ficou com os ativos e os bons investimentos" e que se chama agora NOVO BANCO; e o BANCO MAU, que ficou com os prejuízos, pois é este que guarda os títulos que não conseguirão ser cobrados, sendo a falência o seu destino inevitável.

O governo pretende agora apressar a venda do NOVO BANCO o mais rapidamente possível e o motivo é para que quando uma decisão final dos Tribunais for publicada já se esteja na presença de um facto consumado, não havendo recuo possível, pelo que apenas será então o Estado Português, como responsável, a indemnizar os clientes do banco mau que foram prejudicados, e, assim sendo, serão os contribuintes portugueses, uma vez mais, a pagar mais uma asneira que, pelos vistos, não será ingénua.

Na realidade não tem qualquer lógica separar os clientes do antigo BES: todos eles têm direito à parte boa e à parte má e a resolução de qualquer banco tem regras a respeitar.

Ver notícia relacionada em: 

Vinte fundos internacionais interpõem ação contra resolução do BES

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 10:41
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 14 de Dezembro de 2014

BANCO BOM, BANCO MAU: Agora só falta vender o primeiro.

Tal como já comentei por aí, depois do governo ter decidido partir o Banco Espírito Santo (BES) em dois: o BANCO BOM, que ficou com os ativos e os bons investimentos" e que se chama agora NOVO BANCO; e o BANCO MAU, que ficou com os prejuízos, pois é este que guarda os títulos que não conseguirão ser cobrados, sendo a falência o seu destino inevitável.

O governo pretende agora apressar a venda do NOVO BANCO o mais rapidamente possível e o motivo é para que quando uma decisão final dos Tribunais for publicada já se esteja na presença de um facto consumado, não havendo recuo possível, pelo que apenas será então o Estado Português, como responsável, a indemnizar os clientes do banco mau que foram prejudicados, e, assim sendo, serão os contribuintes portugueses, uma vez mais, a pagar mais uma asneira que, pelos vistos, não será ingénua.

Na realidade não tem qualquer lógica separar os clientes do antigo BES: todos eles têm direito à parte boa e à parte má e a resolução de qualquer banco tem regras a respeitar.

Ver notícia relacionada em: 

Vinte fundos internacionais interpõem ação contra resolução do BES

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 19:52
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Junho de 2014

O Governo insiste na discriminação - CES não vai ser aplicado a todos

De acordo com informações governamentais de hoje, o  CES - Contribuição Extraordinária de Sustentabilidade vai ser substituída em 2015 pela Contribuição de Sustentabilidade sobre as reformas e pensões acima de 1000 euros, mas não vai ser aplicada a todas elas, porque os fundos de pensões privados, aqueles que pagam as conhecidas pensões milionárias de muitos milhares de euros, não vão pagar a CS em 2015, facto que o governo escondeu até ao dia de hoje. O governo insiste assim na discriminação dos portugueses, nomeadamente dos que estão fora da vida ativa.

 

Mas de onde vai o dinheiro para essas pensões milionárias que ficarão de fora? vai do pagamento dos serviços básicos que todos os portugueses consomem e que custam em Portugal mais caro do que em muitos países da UE, como por exemplo a energia!

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 15:10
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 15 de Outubro de 2013

O verdadeiro motivo da crise económica do Estado português

Para quem tem problemas de consciência acerca do endividamento de Portugal, aconselho-vos a verem este pequeno vídeo do Professor Paulo Morais, docente do Ensino Superior na área da Matemática, Diretor do Instituto de Estudos Eleitorais da Universidade Lusófona do Porto e ex vice-presidente da Câmara Municipal do Porto de 2002 a 2005

 

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 11:04
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Agosto de 2012

Em Portugal todos têm “direito ao bom nome”, mesmo que não o mereçam.

Em Portugal toda a gente tem direito ao “bom nome” (?) mesmo que não o mereça, mas isso não é assim em todo o sítio. Há cerca de meia dúzia de anos estive no Brasil e assisti a um programa na televisão que me espantou: um entrevistador questionava um indivíduo que tinha sido detido e condenado por ter assassinado uma velhinha simplesmente para lhe roubar a carteira. Perguntáva-lhe então o repórter:

 - Então, valeu a pena teres morto a velhinha para lhe roubar carteira? O indivíduo, calado, baixava sempre a cabeça a esta insistente pergunta do repórter. O motivo do meu espanto veio depois quando o repórter continuou:

- Porque baixas a cara e não me encaras de frente, covarde? Será que tens medo de mim? Tu sabes perfeitamente que não te posso fazer nenhum mal aqui, neste sítio, mas tiveste coragem de matar a velhinha que sabias não poder defender-se de ti e não tens sequer coragem de me encarar! Olha-me de frente, tu és um covarde! Olha pra mim covarde!

Nem mesmo assim o dito assassino teve coragem de encarar o repórter; quanto a mim, fiquei a pensar que um tal programa televisivo seria impensável no nosso país, em Portugal todos têm direito ao bom nome (incluindo os que não o merecem).

Não tenho nenhum link deste programa, mas vou mostar-vos outro semelhante, também passado no Brasil e que pode ser encontrado no Youtube com os seguintes termos de pesquisa: “morre diabo”. Neste caso, ao invés, o assassino teve mesmo coragem de olhar de frente e responder aos repórteres.

  

 

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 16:29
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011

A detenção de Duarte Lima é hoje notícia em todos os meios de informação

A detenção de Duarte Lima é hoje notícia em todos os meios de informação, não em virtude do caso do assassinato ocorrido no Brasil que motivou o pedido da sua detenção através da interpol, mas por escândalos económico-financeiros ligados ao BPN.

 

Desde o 25 de Abril, dezenas de escândalos têm sido anunciados nos mídia (televisão, rádio, jornais, internet, etc) em que gente influente, da política e não só, é envolvida, mas nunca se chegou a qualquer condenação que implicasse o cumprimento de pena significativa. Assim, sou forçado a concluir que: ou é tudo mentira, Portugal é um país exemplar e tudo são fantasias criadas pelos próprios mídia; ou este país está real e gravemente doente, pois nunca consegue fazer justiça com as leis demasiado complexas que os nossos políticos criaram, por via dos muitos buracos por onde aquela gente sempre escapa; ou são os nossos magistrados incompetentes e por isso incapazes de fazer justiça; ou a nossa justiça já está tomada pelo sistema. Não sei qual é o motivo, mas gostaria de saber. Os portugueses precisam de saber. Finalmente: também não sei se a TROIKA se interessa por estas coisas domésticas; ou se importa apenas com o pagamento dos juros da dívida?

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 15:55
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011

Portugal faz megaleilão com imóveis da Segurança Social Vazios

"Portugal faz megaleilão com imóveis da Segurança Social Vazios": Esta é a notícia de hoje no "Sapo/Sol".

O Estado paga rendas milionárias em muitos serviços do Estado, por exemplo: Justiça, Lojas do Cidadão... e vai vender em LEILÃO imóveis vazios que poderiam receber os Serviços Públicos com rendas astronómicas, porquê? porque não faz uma gestão coerente dos seus imóveis por forma a evitar o esbanjar de dinheiro em rendas?

 

 

  

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 14:08
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Junho de 2010

O CRIME VIOLENTO E O SEU (NÃO) COMBATE

Os partidos de esquerda desculpam sistematicamente a criminalidade com a pobreza e o desemprego. Parece terem receio de uma atitude mais enérgica na luta contra o crime. Será que ficaram traumatizados desde os tempos do fascismo? Esta postura está a desorientar o seu próprio eleitorado natural: os mais pobres que são também os mais desprotegidos face à criminalidade. Assim, os partidos de esquerda têm muita responsabilidade relativamente ao crescimento de extrema-direita que têm um discurso bem mais sensato sobre o combate crime. Não me parece que o combate ao crime seja incompatível com a defesa dos mais desfavorecidos que também são as principais vítimas dos criminosos porque não têm guarda-costas nem especiais sistemas de segurança nos seus automóveis nem nas suas casas. Têm fechado centenas de Empresas que têm jogando muita gente no desemprego e na pobreza. Muitos trabalhadores ficam até com muitos meses de salário por pagar. Se o desespero e a pobreza fossem o principal motivo para o crime violento então muitos assaltos partiriam dos grupos de pessoas na mesma situação que se juntam nos antigos locais de trabalho. Durante o antigo regime a pobreza em Portugal era maior do que a actual e a criminalidade violenta era praticamente inexistente. Se a mais pobreza implicasse maior criminalidade, então não teria sido assim. As estatísticas nem reflectem a nossa realidade porque as vítimas já não acreditam na eficácia do nosso sistema de justiça e sabem que os criminosos são rapidamente postos em liberdade, mesmo quando capturados em flagrante delito, ficando as vítimas depois sujeitas a represálias, por isso muitas já nem se queixam. Pela mesma razão, vítimas e testemunhas escondem a face quando são entrevistadas pela televisão. Há alguns anos um Mayor de Nova Iorque decidiu que não se deveria menosprezar a pequena criminalidade nem os pequenos delitos, porque a sensação de impunidade se instala nos jovens delinquentes, estes vão progredindo para infracções cada vez mais graves até que a situação se torna incontrolável. Implementou então a célebre "Tolerância Zero" que, como se sabe, deu óptimos resultados, reduzindo num só ano a criminalidade em cerca de metade. A actual política portuguesa é a de manter os criminosos na rua, mesmo depois de várias reincidências. Acredito que “apenas” seja uma forma de poupar dinheiro ao orçamento do estado, poupança que os cidadãos acabam por pagar ainda mais caro quando ficam sujeitos aos actos dos criminosos, na sua maioria já são reincidentes. Os criminosos continuam impunes e com as suas actividades criminais, subindo o nível dos seus delitos e servem de exemplo para que os mais jovens sigam o caminho da delinquência. Este é o resultado das nossas políticas. Por tudo isto é natural que os cidadãos portugueses (e não só porque esta política não é exclusiva do nosso país) no seu desespero começam a mudar a sua orientação de voto para a extrema-direita que tem um discurso bem mais sensato sobre o problema mas depois são penalizados pelas políticas neo-liberais que visam colocar os custos do trabalho ao nível do extremo oriente e da China e retirar-lhes a pouco e pouco todas as regalias sociais conseguidas durante muitos anos (sobre isto poderá ver um comentário meu em http://bancadadirecta.blogspot.com/2009/07/os-milagres-da-globalizacao-na-cimeira.html). Isso já aconteceu em França…
free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 10:26
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. E-FATURA: COMO ATIVAR FAT...

. BANCO BOM, BANCO MAU: Ago...

. BANCO BOM, BANCO MAU: Ago...

. O Governo insiste na disc...

. O verdadeiro motivo da cr...

. Em Portugal todos têm “di...

. A detenção de Duarte Lima...

. Portugal faz megaleilão c...

. O CRIME VIOLENTO E O SEU ...

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds