Terça-feira, 25 de Outubro de 2011

Enfermeiros vão realizar tarefas de médicos

Enfermeiros vão realizar tarefas de médicos. Esta é a notícia de hoje no sapo 

 

Os médicos já não conseguem atender os doentes e muitos deles acabam por voltar para casa sem consulta, mesmo em situações agudas de doença. Muitas consultas e tempo dos médicos é gasto também a renovar receitas dos seus doentes crónicos, que poderia ser muito melhor aproveitado para consultarem outros doentes.

Os enfermeiros poderiam aliviar os médicos em algumas situações e já o fazem à muito tempo nos hospitais quando fazem as triagens, que determinam a espera do doente de alguns minutos ou de horas. Então os enfermeiros não poderiam nalguns casos aliviar os poucos médicos e auxiliar os doentes? Porque não pode o enfermeiro renovar a RECEITA DE UM MÉDICO a um doente crónico e que tem que tomar um medicamento para toda a vida? Porque não pode um enfermeiro distribuir receitas de BENUROM (mais uma vitaminas...) aos doentes que chegam ao Centro de Saúde com uma simples constipação. É claro que se não for suficiente esse medicamento, deverá então entrar em ação o médico. O médico faz exatamente isso. É claro que se o doente tiver outras complicações, então o próprio enfermeiro encaminhará o doente logo de início para o médico. O enfermeiro já não é hoje uma simples pessoa para dar injeções, tem uma formação superior ao nível de licenciatura e por vezes até mais...

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 11:28
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

Ordem dos Médicos rejeita prescrição obrigatória por DCI

 
Assim como o doente poderá recusar qualquer medicação, considero que também tem o direito de decidir neste caso. É claro que se o doente optar por comprar um medicamento genérico em vez do de marca que o seu médico lhe receitou está a ir contra a indicação do médico, que assim poderá invocar esse facto para se desresponsabilizar em caso de dano para a saúde do doente, mas isso é um assunto a dirimir em tribunal entre o médico, o doente e, eventualmente, o farmacêutico.
 
Mas afinal quem tem mais competência e conhecimento sobre os medicamentos: o médico que pelos anos de prática se vai apercebendo do efeito dos medicamentos sobre os seus doentes (ou sobre aquele doente em particular) ou o farmacêutico que estudou as substâncias que compõem os medicamentos e os seus efeitos sobre o corpo humano? Na realidade, os medicamentos são estudados e criados em geral por técnicos de farmácia e não por médicos. Os medicamentos depois de legalmente aprovados no país são então postos à venda, apresentados pelos laboratórios aos médicos para prescrição de acordo com as propriedades indicadas nas caixas? Nalguns casos são os próprios médicos que encomendam aos laboratórios as análises para a busca do medicamento mais eficaz a aplicar ao seu doente. 
 
Mas há ainda uma outra variável a considerar: a algibeira do doente que poderá não ter capacidade económica para a aquisição dos medicamentos de marca, obviamente mais caros. Que será pior: tomar genéricos ou abandonar o tratamento?
free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 16:20
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 13 de Julho de 2010

Mais vagas em Medicina, enfermagem e direito

O Governo anunciou o aumento de vagas em vários cursos universitários, nomeadamente na área da saúde: medicina e enfermagem, embora eu não saiba qual será esse aumento. Mas é evidente que o país carece de profissionais naquelas áreas. Na saúde basta passarmos por um qualquer hospital ou centro de saúde e ouviremos facilmente um médico, enfermeiro ou outro técnico de saúde falar um português com sotaque espanhol: são estrangeiros que ocupam lugares altamente qualificados para os quais Portugal não dispõe do número necessário de profissionais. Há décadas que a Ordem dos Médicos se opõe ao aumento das vagas em medicina e tem conseguido impor a sua vontade. Em consequência chegámos ao lamentável resultado que referi. Outra demonstração da carência de profissionais de saúde são as dificuldades em manter os serviços a funcionar durante o verão: vários hospitais da margem sul do Tejo estiveram para fechar os serviços de pediatria e só não o fizeram porque as suas equipas de profissionais muito dignamente sacrificaram as suas férias durante o período de carência. Paralelamente existem dezenas de cursos universitários de que o país não precisa e cujos alunos depois de formados não vão encontrar emprego compatível, pelo que ficarão no desemprego ou aceitarão qualquer coisa onde possam ganhar algum dinheiro. Compreendo a posição da "Ordem dos Médicos" e agora também a dos Enfermeiros que já têm uma Ordem que são na realidade organizações corporativas que defendem os interesses dos actuais profissionais, dificultando o acesso à profissão aos jovens. É que o excesso de profissionais de uma determinada classe desvaloriza-a e em consequência honorários e salários e outras regalias tenderão a baixar; alguns profissionais poderão aceitar até condições que outros rejeitam. Também poderá significar que o exercício da profissão nos sectores público e privado em simultâneo deixe de ser permitido porque levanta suspeitas de conflito de interesses. Um curso de medicina em Portugal representa actualmente uma garantia de emprego e bem remunerado, daí a muitos jovens (os que podem) irem para Salamanca estudar medicina, gastando muito dinheiro aos pais e fazendo sair divisas ao país. Portugal tinha até a obrigação de formar profissionais de saúde para os PALOPs que deles muito necessitam, mas com a falta que temos muitos desses profissionais acabam por ficar por cá uma vez que são muito melhor remunerados do que nos seus países de origem. Mais valia o país apostar nestes cursos do que noutros sem saídas profissionais que apenas servem para dar emprego a alguns professores universitários. Quanto ao exercício da advocacia é a mesma coisa: muitos jovens estão a concluir o curso de Direito mas depois não conseguem a sua inscrição na Ordem que regula o exercício da profissão: são os estágios infindáveis, os exames no final dos estágios, enfim um sem número de dificuldades. As "REGRAS DO MERCADO" aplicam-se a todas as actividades comerciais e industriais e nas profissões: os bares, restaurantes, papelarias e oficinas que não podem impedir a abertura de outras lojas concorrentes ficam aqui em desvantagem; tal como os pedreiros, ladrilhadores, canalizadores, empregadas domésticas (que há cerca de uma década que não vêem aumentados os seus salários). Todas as profissões que têm uma Ordem, que determina quem pode ou quem não pode exercer a profissão, ficam protegidas da concorrência e é isso que deveria acabar. O EXERCÍCIO DA PROFISSÃO DEVERIA SER CONDICIONADO À DETENÇÃO DA HABILITAÇÃO E (PORVENTURA) A UM DETERMINADO PERÍODO DE ESTÁGIO. EXAMES NO FINAL DE ESTÁGIO (A SEREM FEITOS) DEVERIAM ESTAR A CARGO DAS UNIVERSIDADES E NÃO DAS ORDENS QUE DEVERIAM LIMITAR-SE À VERIFICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS PROFISSIONAIS.
free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 11:45
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Enfermeiros vão realizar ...

. Ordem dos Médicos rejeita...

. Mais vagas em Medicina, e...

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds