Quarta-feira, 6 de Dezembro de 2017

"Portugal precisa de ultrapassar défice do desconhecimento"

É notícia de hoje que António Costa terá dito que "Portugal precisa de ultrapassar défice do desconhecimento".

Lembrei-me de deixar a minha reflexão sobre o assunto que acabo de tomar conhecimento pelos meios de informação (por exemplo): É claro que quando se trata de conhecimento ele nunca é demais, mas não me parece que seja esse o principal problema português, senão vejamos: muitos dos nossos engenheiros, arquitetos, enfermeiros, técnicos de saúde e até médicos, que custaram muito dinheiro a formar aos seus pais e a este pobre país, têm estado a partir por falta de oportunidades neste país. Vão para a Inglaterra, Alemanha, EUA, Arábia Saudita e outros países onde encontram oportunidades que não encontraram por cá.

E os que ficam, incluindo os detentores de cursos técnicos, têm extrema dificuldade em ingressar na carreira profissional para a qual estudaram e se prepararam durante muitos anos. Muitos deles acabam por sujeitar-se a trabalhar para empresas de prestação de serviços que lhes pagam salários que nem chegam sequer para pagar uma renda de casa em Lisboa. É que as empresas de serviços visam um lucro do negócio, que é, aliás, legítimo, e ficam com a maior parte do valor pago pelo serviço, sendo a entidade contratante muitas vezes o próprio Estado que poderia pagar melhor aos seus servidores diretos em vez de pagar a essas Empresas que sobrevivem à sua custa. O Estado deveria ter por isso ao seu serviço todo o pessoal necessário para suprir as necessidades permanentes de trabalho, sendo apenas contratado pessoal direta ou indiretamente para as necessidades extraordinárias que surgem ocasionalmente. E esta lógica não deverá ser aplicada apenas aos técnicos mas a todo o universo de serviços necessários, desde o porteiro, ao jardineiro, funcionário administrativo, enfim todos os que prestam um serviço permanente às diversas componentes de máquina.

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 17:00
link do post | comentar | favorito
Sábado, 4 de Abril de 2015

JSD tem 35 propostas para reduzir desemprego jovem - fico curioso

Fico curioso porque tudo o que o governo tem feito sem sido em sentido contrário.

Ora vamos rever:

De acordo com as estatísticas oficiais mais recentes, o desemprego voltou a aumentar em Portugal (link), apesar de muita gente estar a atingir a idade da reforma, o pior é que nem sequer os lugares que estão ficando livres são disponibilizados para os mais jovens, onde o desemprego é maior, atingindo já oficialmente cerca dos 35% para este grupo de portugueses. Parece que as entidades patronais estão desejando ver-se livres dos empregados que possuem e por isso não substituem os que vão saindo.

A opinião de que os portugueses deveriam ter mais filhos cai assim por terra:

1.º) Porque os portugueses mais jovens, em idade de ter filhos não podem constituir família porque nem sequer têm acesso a um emprego e quando têm o salário é insuficiente para se tornarem autónomos dos pais; ou acabam por emigrar (link). Já terão emigrado 300 a 400 mil jovens que vão procriar lá fora, como é evidente;

2.º) Porque não se vêem melhores perspetivas para as gerações futuras, só irresponsáveis desejariam ter mais do que 1 ou 2 filhos no máximo e apenas devido ao instinto de procriação. Essas crianças irão apenas engrossar um dia, quando crescerem, o número de emigrantes ou de desempregados.

O governo, ele próprio, cria o desemprego quando:  a) aumentou e continua a aumentar a idade das reformas; b) fomenta o aumento do número de horas de trabalho semanal; c) reduz o número de feriados e de dias de férias; d) reduz o número de empregos nas áreas em que é patrão, i.e. na função pública e nas empresas públicas; e nem substitui os funcionários que se vão aposentando. A renovação de uma simples carta de condução chega a demorar 1 ano e mais; e) nas empresas públicas é notório que a redução de trabalhadores pretende tornar as empresas mais atrativas para a sua privatização; f) obriga a que os municípios sigam a mesma lógica; g) não cria leis que obriguem as entidades patronais a admitir os empregados de que necessitam mas obriga a que os trabalhadores a cumpram horas extraordinárias contra a sua vontade, o que é até perigoso e vários casos, como na área dos transportes por exemplo. Obviamente que as horas extraordinárias só deveriam ser permitidas em casos pontuais e não como forma de suprir as necessidades correntes das empresas; h) reduz por lei o preço das horas extraordinárias dos trabalhadores e permite a criação de "bolsa de horas", incentivando também de outro modo o recurso das empresas a esta modalidade, porque o preço aí fica a custo zero. Os funcionários ficam obrigados a gastar os dias em crédito fora das férias que a família deixa de poder programar.

A taxa de desemprego oficial diverge da real e não se aproxima daquela porque o governo utiliza habilidades matemáticas para a reduzir. Por exemplo: quem não comparece nos Centros do Instituto de Emprego e Formação Profissional a atestar a sua condição de desempregado deixa de ser considerado como tal; o acesso aos Centros de Emprego é dificultado por falta de capacidade de resposta, acumulando-se enormes filas de utentes que aguardam a sua vez de serem atendidos levando a que muitos desistam e deixem de contar nas estatísticas. Muitos Centros da Segurança Social também já só atendem com marcação prévia por falta de pessoal; o governo cria cursos para quem quer trabalhar e quem entra neles ou os recusa deixa de ser considerado como desempregado; oferece trabalhos a tempo parcial e, do mesmo modo, quem os aceita ou recusa também sai da estatística de desempregados; os muitos portugueses que emigraram também já não constam nessas estatísticas, como é óbvio.

Será que os jovens do PSD vão propor o despedimento dos seus pais sem direito a subsídios nem reformas para eles ocuparem os seus lugares?

free counter
publicado por Zé da Burra o Alentejano às 21:36
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28


.posts recentes

. "Portugal precisa de ultr...

. JSD tem 35 propostas para...

.arquivos

. Fevereiro 2019

. Novembro 2018

. Dezembro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Dezembro 2015

. Setembro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds